Menu

11 de julho de 2013

Inferno, de Dan Brown

Número de páginas: 448
Editora: Arqueiro

SINOPSE: No meio da noite, o renomado simbologista Robert Langdon acorda de um pesadelo, num hospital. Desorientado e com um ferimento à bala na cabeça, ele não tem a menor ideia de como foi parar ali. 


Ao olhar pela janela e reconhecer a silhueta do Palazzo Vecchio, em Florença, Langdon tem um choque. Ele nem se lembra de ter deixado os Estados Unidos. Na verdade, não tem nenhuma recordação das últimas 36 horas

Quando um novo atentado contra a sua vida acontece dentro do hospital, Langdon se vê obrigado a fugir e, para isso, conta apenas com a ajuda da jovem médica Sienna Brooks

De posse de um macabro objeto que Sienna encontrou no paletó de Langdon, os dois têm que seguir uma série inquietante de códigos criada por uma mente brilhante, obcecada tanto pelo fim do mundo quanto por uma das maiores obras-primas literárias de todos os tempos: A Divina Comédia, de Dante Alighieri.


-

Dan Brown é um autor que já havia me ganhado em Anjos e Demônios, então, quando foi anunciado um novo livro dele, eu precisava ler.

Do começo ao fim o livro é ação pura, não há folga, não há parada, é uma verdadeira luta contra o tempo. Se preparem para muita, MUITA correria em Inferno.

Robert, o Tom Hanks (não consigo mais desassociar um do outro, culpa dos filmes), continua com seu ar sarcástico e engraçado, é interessante vê-lo um pouco perdido na história, devido à perda da memória, porque afinal, ele é Robert Langdon

Sienna foi uma surpresa para mim, misteriosa (até demais), ela consegue cativar o leitor, e seu papel é de grande importância à narrativa. Para mim, ela deu um ar mais leve à história. 

A Divina Comédia, principalmente a parte Inferno do poema, é o ponto central da trama, e todos os enigmas da história são baseados nele, o que faz com o leitor fique com curiosidade de ler a obra de Dante, eu mesmo andei lendo alguns trechos do Inferno do poema.

O leitor não fica curioso apenas para ler A Divina Comédia, mas também para visitar todos os lugares mencionados no livro, Dan Brown consegue narrar majestosamente os pontos em que Robert e Sienna passam, e depois de imaginar e pesquisar os museus e igrejas, Florença e Veneza, com certeza, entraram para os lugares que quero visitar. 

A narrativa flui bem, embora seja carregada. No mesmo esquema de outros livros do autor, os capítulos de Inferno são curtos, e sempre acabam no ultrapower clímax, e o próximo capítulo é em outra parte da história, isso estimula o leitor a querer ler mais e descobrir o que acontece, o que torna o livro envolvente. Dan Brown é genial. 

Cheio de reviravoltas, Inferno é aquele tipo de livro que você não sabe para onde a história vai te levar. Surpreendente, o final deixa o leitor com o coração na mão.

Fazendo uma crítica à superpopulação mundial, o autor nos coloca para pensar sobre o papel da ciência para o futuro. 

Quanto ao design, a Editora Arqueiro fez um trabalho incrível em pouco tempo. As folhas são amarelas e a diagramação é simples, com alguns detalhes dos enigmas em algumas páginas, que enriquecem a leitura. 

Envolvente, misterioso e Danbrownstico (isso deveria ser um adjetivo), Inferno, com certeza, entrou para minha lista de melhores livros do ano. Recomendadíssimo!



17 comentários:

  1. Ando ouvindo muito falar desse livro e estou louca para ler, porém ainda não tive a oportunidade.
    Amei a resenha, que me deixou com mais vontade ainda de ler haha
    Beijos
    utopiaincessante.blogspot.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Lançamento do Dan Brown sempre acaba virando destaque, né Iana?
      Obrigado pelo elogio, e leia sim, vale a pena.
      Beijos!

      Excluir
  2. Oie :)

    Já vi críticas super boas sobre esse livro então creio que vou gostar bastante ainda mais pelo o que você disse sobre os capítulos curtos odeio livros com capítulos grandes, abraços !!

    http://euvivolendo.blogspot.com.br/ ( comenta lá :D )

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu também prefiro capítulos curtos, Gabriel, a leitura parece que flui melhor.
      Abraço!

      Excluir
  3. Eu estou louca para ler o livro, principalmente pela história toda que rolou por trás na criação dele, foi sensacional!! hehe Amo os livros do Dan e estava com saudades de acompanhar as aventuras do Robert. Assim que der lerei. Beijos, Mi

    www.recantodami.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O autor sempre faz uma pesquisa de campo pra enriquecer os detalhes dos lugares, né Mi, acho isso incrível, pois dá uma realidade impressionante para a trama.
      Leia mesmo! Beijos.

      Excluir
  4. Bom, eu sou uma fã da narrativa de Dan Brown *-*
    Já lia a maioria dos seus títulos, então é lógico que estou muito ansiosa por esse livro. Robert não é o meu personagem favorito do autor, mas não tem como não falar que todos os seus livros são brilhantes.
    Adorei a resenha ;)
    Beijinhos
    Segredo de um Mundo

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu também adoro o jeito que ele narra, Bruna *-*
      Leia Inferno e me diz depois se gostou.
      Beijosss!

      Excluir
  5. Depois de ler sua resenha fiquei muito ansiosa para conseguir ler ele, parece ser um daqueles livros que você não consegue mais largar!
    Espero que eu goste!
    Beijos, http://havingbooks.blogspot.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Que bom, Amanda!
      Leia sim, depois me conta se gostou.
      Beijão!

      Excluir
  6. cara, essa coisa de não conseguir desassociar o intérprete da personagem real é muito frustrante aaaa... isso tá acontecendo comigo. tô lendo 'a culpa é das estrelas' e não consigo desassociar as personagens dos atores de 'inquietos'.
    dá uma raiva, mas quando a gente vê que não dá pra mudar isso, a gente acostuma.

    é como quando o autor narra três páginas seguidas do encontro do personagem principal com uma mulher que ele acaba de conhecer e você constrói toda uma imagem sobre ela.
    aí, no final das três páginas, ele fala: "e com seus cabelos ruivos esvoaçados sobre o casaco de pele russo, piscou um dos olhos para mim e respondeu minha pergunta"
    TIPO, CARALHAAA, o cabelo dela era preto na minha cabeça grhhhh

    frustrações literárias, a gente se vê por aqui.

    ps: a propósito, já ouvi falar mt bem nesse livro, deve ser bom mermo.

    ps2: acho que enviei um comentário incompleto antes, sem querer. cliquei errado aqui, fail.


    www.pe-dri-nha.blogspot.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Bem isso mesmo, Manie ahahahahahahha
      Beijos!

      Excluir
  7. Excelente resenha, Gus! Preciso tomar vergonha na cara e começar a ler outras coisas além de "YA e NA". Bjks, Alê

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado, minha linda!
      Dan Brown é genial demais, dê uma chance \o/
      Beijos.

      Excluir
  8. Quem não associa Robert Langdon ao Tom Hanks, não é? Sempre que eu penso no Langdon, a primeira coisa que me vem na cabeça é o Hanks. Acabou, sempre vai ser assim!
    Livros assim estão em falta, aquele livro arrebatador que só a fórmula do Dan Brown consegue fazer. O cara é demais! Essa palavra Danbrownstico REALMENTE deveria ser um adjetivo! Só assim para definir, porque nossa. <3

    Um beijo,
    Luara - Estante Vertical

    ResponderExcluir
  9. O livro é ótimo, o tema abordado é ótimo (e muito realista, né?). Gostei bastante do livro, aliás, gosto de tudo que Dan Brown escreve. E o trabalho da Arqueiro realmente ficou muito bom.

    Bjs,
    Kel
    www.itcultura.com.br

    ResponderExcluir
  10. Gus Dan Brown é Dan né ?? Tenho aqui Anjos e demônios, Código da Vinci e Simbolo Perdido dele..Código da Vinci foi uma loucura quando li HAHAHAHAHA fiquei pensando e aí ?? se for verdade ? muda o q na minha vida ? O cara é genial da escrita e trazer temas polêmicos a tona sem ser cansativo.. Ansiosa por Inferno ;)

    ResponderExcluir