Menu

1 de julho de 2014

Especial Paulo Leminski



Razão de ser



Escrevo. E pronto.
Escrevo porque preciso,
preciso porque estou tonto.
Ninguém tem nada com isso.
Escrevo porque amanhece,
E as estrelas lá no céu
Lembram letras no papel,
Quando o poema me anoitece.
A aranha tece teias.
O peixe beija e morde o que vê.
Eu escrevo apenas.
Tem que ter por quê?


Paulo Leminski sem dúvida é um dos maiores poetas de nossa literatura nacional. Este paranaense, conhecido pelo seu bigode marcante e palavras que em suas mãos transformavam-se na mais refinada matéria prima. Leminski compôs poesias, poemas, versos que através da simplicidade e beleza marcaram um período poético e influenciou os que vieram a seguir.

Porém engana-se quem pensa que ele era somente poeta! Não, Leminski era o exemplo da pluralidade artística, ele também foi compositor, tendo inclusive suas canções gravadas por Caetano Veloso, redator, romancista, tradutor, traduzindo por exemplo obras de autores como James Joyce, também foi um grande estudioso da cultura e literatura japonesa.

Um poeta de vanguarda, que através de seus poemas com jogos de palavras, ironias e simplicidade, soube falar do amor, da vida, da fé, da dor e da poesia em si. Leminski se destacou em sua época e gravou seu nome dentre os melhores poetas que já habitaram essas terras tupiniquim. Uma joia de nossa literatura nacional com certeza, que nos deixou em 7 de junho de 1989, vítima de cirrose hepática.

Em 2013 a Companhia das Letras lançou o livro “Toda Poesia”, que reúne os versos do autor em uma edição caprichada, com apresentação de Alice Ruiz.  Este é um ótimo livro para quem deseja conhecer mais sobre grande poeta ou para aqueles que já o admiram, é uma obra de arte!

Miramos no Paulo Leminski e acertamos o Mário Bros, um mexicano e uma garota do Tumblr.
Amar você é coisa de minutos…


Amar você é coisa de minutos

A morte é menos que teu beijo
Tão bom ser teu que sou
Eu a teus pés derramado
Pouco resta do que fui
De ti depende ser bom ou ruim
Serei o que achares conveniente
Serei para ti mais que um cão
Uma sombra que te aquece
Um deus que não esquece
Um servo que não diz não
Morto teu pai serei teu irmão
Direi os versos que quiseres
Esquecerei todas as mulheres
Serei tanto e tudo e todos
Vais ter nojo de eu ser isso
E estarei a teu serviço
Enquanto durar meu corpo
Enquanto me correr nas veias
O rio vermelho que se inflama
Ao ver teu rosto feito tocha
Serei teu rei teu pão tua coisa tua rocha
Sim, eu estarei aqui

3 comentários:

  1. Ana - @greatlovesuede2 de julho de 2014 17:54

    O Gus ficou um Mário bonitinho, deixa kkkk
    O Paulo realmente escreve super bem e sua filha (Estrela Ruiz Leminski), nas primeiras páginas de um livro, já me conquistou. Adoraria saber se você(s) conhecem alguma obra dela e o que acham :)

    ResponderExcluir
  2. Ah, eu sou fã de Leminski <3
    Ainda não adquiri o Toda Poesia, mas estou doida para ter. Tenho apenas pequenas compilações de poesias dele. Cara, achei hilário isso dos mustaches kkkk Mario Bros é o máximo kkkk história pura!
    Os versos escritos no post também são lindos... Ótima semana!

    Beijos,
    Mari Siqueira
    http://loveloversblog.blogspot.com

    ResponderExcluir
  3. Nunca li nada deste autor e vou ser bem sincera...até o momento nem conhecia a sua existência! Achei engraçadinha as fotos de vocês! Hahahaha

    ResponderExcluir